Como saber se o Lucro Real é a melhor alternativa para seu comércio?

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Lucro Real

Uma das dúvidas mais comuns de todo empresário se refere à escolha de qual regime tributário em que sua empresa irá enquadrar. No Brasil, são três as opções:

Todas as três alternativas são diferentes, com exigências e alíquotas distintas, apresentando assim algumas vantagens e desvantagens entre si. Cabe a cada empresa realizar seu planejamento tributário e analisar a sua própria condição, a fim de encontrar o sistema mais adequado para si mesma.

Em nosso post de hoje, iremos abordar a opção do Lucro Real, detalhando as características deste regime e esclarecendo se ele é a escolha certa para sua empresa. Confira!

O que é o Lucro Real?

O Lucro Real é um regime tributário onde o cálculo da tributação é realizado sobre o lucro líquido do período. O valor pago ao Fisco é totalmente proporcional ao que a empresa fatura – e, logicamente, se a empresa apurar prejuízo durante o exercício, não ocorre o pagamento de tributos.

Com isso, o regime de Lucro Real é dependente exclusivamente da apuração de lucro da empresa – o que acarreta uma maior responsabilidade ao consolidar os resultados da empresa. Logo, uma maior fiscalização é feita em empresas optantes por esse sistema, ficando as mesmas obrigadas a apresentarem registros, livros contábeis e demais documentos de contabilidade para a Receita Federal.

Apesar das alíquotas cobradas pelo PIS e COFINS serem maiores que as exigidas em outros regimes (9,25% sobre o faturamento, em comparação aos 3,65% recolhidos no Lucro Presumido), o regime não é cumulativo para PIS e COFINS. Ou seja, a optante pelo Lucro Real tem a possibilidade de obter desconto por meio de créditos advindos do consumo de energia elétrica, água, aluguel, depreciação de ativos, entre outros.

lucro real

Vantagens do Lucro Real

Em resumo, as vantagens do Lucro Real seriam:

  • Redução ou até mesmo a suspensão do recolhimento do IRPJ e da CSLL, de acordo com o que apresentar o balanço da empresa;
  • Oportunidade de compensar prejuízos do mesmo exercício ou de anteriores (ou do mesmo exercício);
  • Possibilidade de utilização de créditos do PIS e COFINS;
  • Maior margem para realizar ações de planejamento e gestão tributária.

Desvantagens do Lucro Real

Já as desvantagens seriam as seguintes:

  • Imposição de regras e fiscalização tributária mais rígida, juntamente a uma maior exigência burocrática;
  • Incidência de alíquotas do PIS e COFINS mais altas do que na modalidade Lucro Presumido.

O Lucro Real é a melhor alternativa para minha empresa?

Ao analisar o Lucro Real, podemos ver que ele é um regime mais justo, pois baseia o cálculo dos impostos a serem recolhidos nos resultados que a empresa realmente teve (devidamente ajustados pelas adições e exclusões à base de cálculo) e não em apenas uma estimativa ou valor tabelado. Por atuar em uma base mais próxima dos lucros/prejuízos da empresa, fica mais fácil utilizar as técnicas de planejamento tributário para reduzir o que se paga ao Fisco.

Entretanto, o Lucro Real é mais trabalhoso, demanda uma burocracia maior e está mais sujeito a fiscalização da Receita Federal – além de não oferecer o sistema de não cumulatividade do PIS e COFINS (o que acarreta alíquotas maiores).

Diversas empresas de pequeno e médio porte acabam desistindo do Lucro Real e optando pelo Lucro Presumido – principalmente pela comodidade que o mesmo trás. Entretanto, cabe sempre uma análise: ao verificar o resultado da empresa (já devidamente ajustado), faça uma simulação em qual dos dois você pagaria menos impostos. Se a diferença for significativa para seu negócio, altere a forma de tributação.

Gostaria de saber mais sobre o Lucro Real e como escolher o melhor regime tributário para a sua empresa? Assine nossa newsletter e fique por dentro do conteúdo que preparamos pra você!

Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×